Ponte pênsil que liga Torres a SC deverá ser reaberta nesta sexta

Estrutura de concreto foi construída dois metros mais alta que antiga ponte.

Passado um ano e quatro meses após a interdição da ponte pênsil que liga as cidades de Torres e Passo de Torres (SC), a estrutura deverá finalmente ser reaberta na tarde desta sexta-feira (21). No dia 20 de fevereiro de 2023, a estrutura de madeira e cabos de aço se rompeu, devido a superlotação, ocasionando na morte de Brian Grandi. Além do óbito do jovem, outras 16 pessoas ficaram feridas.

Segundo o inquérito entregue à Justiça em julho pela Polícia Civil de Santa Catarina (PC-SC), a ponte estava sem a manutenção adequada, a qual deveria ter sido realizada pela prefeitura de Passo de Torres. O inquérito confirmou que a queda foi resultado do rompimento de um cabo de aço, porém, não apontou responsabilidades específicas pelo ocorrido.

INDEFINIÇÃO E PROBLEMAS NA OBRA

Após impasses sobre a responsabilidade da ponte, ficou definido que a obra seria realizada pela prefeitura de Passo de Torres, em parceria com o Governo catarinense, tendo investimento de R$ 701,8 mil. O trabalho foi realizado pela Montadora e Construtora Moreira. Com previsão de conclusão inicial para abril de 2024, havia uma expectativa que a estrutura fosse concluída antes do Natal passado, o que não aconteceu. Um novo prazo foi estipulado para dezembro de 23, mas mais uma vez o serviço precisou ser adiado por causa de empecilhos.

Na ocasião, a obra chegou a ser interrompida, após pedido da Marinha do Brasil. A medida foi tomada pela Agência da Capitania dos Portos em Tramandaí, que alegou não ter recebido o projeto para análise e aprovação, o que poderia colocar em risco a segurança da navegação no Rio Mampituba. Na época, a Agência alegou estar realizando um estudo sobre as embarcações que transitam na região para prevenir possíveis colisões. A Marinha também apontou que, durante a realização da obra, também deveria haver a interdição do tráfego no Rio, o posicionamento de uma embarcação de segurança com sinalização específica, e a divulgação de ‘Aviso aos Navegantes’ nas colônias de pesca e marinas.

Depois da retomada da obra, já em janeiro de 2024, o trabalho precisou novamente ser interrompido, em abril, após ser identificada uma fissura entre as escadas de acesso e a plataforma de entrada, ambas construídas em concreto. Conforme o engenheiro responsável pela obra, Douglas Pelegrini, a fissura entre as escadas de acesso e a plataforma de entrada foi causada pela presença de uma junta de dilatação entre as duas estruturas, construídas separadamente.

Com isso, o prazo de conclusão da obra foi estendido para dezembro desse ano. Após um acordo, o adiamento foi formalizado em um termo aditivo publicado pela prefeitura de Passo de Torres, em conjunto com a empresa.

NOVA ESTRUTURA

Segundo o secretário de Planejamento e Meio Ambiente de Passo de Torres, Roger Maciel, a nova estrutura será mais alta e contará com mais segurança para os pedestres. “A passagem é quase dois metros mais alta em comparação à estrutura anterior. O novo projeto tem a altura equiparada à altura da estrutura da ponte de concreto, utilizada para a ligação por veículos entre as duas cidades, para padronizar a passagem de barcos. A passarela terá a capacidade de suportar até 30 pessoas simultâneas (10 à mais que antiga estrutura), porém, por precaução será permitido, no máximo, 10 indivíduos ao mesmo tempo na estrutura”, afirmou Maciel.

Ainda de acordo com Maciel, nas cabeceiras da ponte será informado o limite de pessoas e será instalada uma câmera para a fiscalização. “Contaremos também, com a educação das pessoas sobre a quantidade máxima”, disse o secretário. A nova também contará com corrimão, a fim de aumentar a segurança das pessoas.

Com a ponte concluída, a prefeitura de Passo de Torres agora negocia a divisão da responsabilidade do monitoramento do projeto com o município do Litoral Norte gaúcho. Porém, nada foi oficializado até o momento.

Secretário de Planejamento e Meio Ambiente de Passo de Torres, Roger Maciel. – FOTOS: PMPT