Redução do poder de compra do consumidor afeta duas em cada cinco empresas gaúchas

Diretor-superintendente em exercício do Sebrae-RS, Ariel Fernando Berti.

A bimensal Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios do Sebrae-RS ouviu empreendedores de Micro e Pequenas Empresas (MPE) e Microempreendedores Individuais (MEI) entre os dias 06 e 24 de março de 2024. O levantamento abrange uma avaliação do desempenho das empresas abordando variados aspectos como faturamento, ocupação e acesso ao crédito, e, também, as perspectivas para os próximos bimestres. Os setores consultados foram: Comércio, Serviços, Indústria e Agronegócio. 

Um dos destaques nos resultados da pesquisa foi a percepção de que há escassez de clientes e redução do poder de compra do consumidor e isso está afetando duas em cada cinco empresas no RS. Foram 43% dos entrevistados que comentaram estarem sentindo falta do interesse por parte de seus clientes. Nesse sentido, 49% das empresas sinalizaram queda no faturamento, enquanto somente 15% indicaram aumento. Ainda assim, 56% das empresas têm como principal desafio aumentar as vendas e 49% equilibrar as finanças.

No quesito ocupação, 57% das empresas indicaram estabilidade na ocupação e 28% sinalizaram redução no número de ocupados. A minoria delas, 28%, buscaram crédito no último bimestre e, o, valor médio obtido por empresa foi de R$ 98,1 mil.

CONFIANÇA NA MELHORA DO CENÁRIO

Ainda que o cenário esteja demonstrando poucos resultados favoráveis e incertezas, 44% dos empresários estão confiantes na melhoria da situação da economia do estado, e, 38% acreditam que não haverá alteração no próximo bimestre. Para 61% dos empresários haverá melhoria do seu ramo de atividade para o próximo bimestre.

De acordo com o diretor-superintendente em exercício e diretor Técnico do Sebrae-RS, Ariel Fernando Berti, a pesquisa demonstra que os empreendedores gaúchos não se retraem com o cenário de escassez em alguns pontos, mas, sim, olham com otimismo para o futuro. “Os empreendedores sabem que precisam priorizar investimentos para que suas empresas cresçam de forma saudável e também fazer bons planejamentos para colher melhores resultados no futuro”, avalia. 

Dos resultados, uma boa perspectiva no cenário das micro e pequenas empresas é que 50% dos empresários têm a intenção de expandir o negócio e 44% manter as atividades nos próximos dois meses. Também 40% deles pretende aumentar a ocupação de pessoas nos próximos dois meses.