Prefeitos cobram ações na Segurança Pública e no abastecimento de energia elétrica

Audiência Pública foi realizada na sede da Amlinorte, em Osório. - FOTO: Rose Scherer

Os prefeitos da Associação dos Municípios do Litoral Norte (Amlinorte) estiveram em Osório, na manhã da última sexta-feira (12), para a realização de mais uma Audiência Pública da Associação. A reunião contou com a presença do comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Litoral Norte (CRPO Litoral), o coronel Ney Humberto Fagundes Medeiros; e de representantes da CEEE Equatorial.

O coronel Ney Humberto aproveitou a ocasião para falar sobre as ações realizadas no Litoral Norte e apresentar a redução de indicadores de criminalidade durante o mês de março. Durante o encontro, os prefeitos questionaram sobre o aumento da criminalidade, principalmente do avanço das organizações ligadas ao tráfico de drogas na região. No final, o presidente da Amlinorte, João Marcos Bassani, afirmou que há a necessidade de aumento no efetivo policial e disse ainda que o assunto será discutido nesta semana na sede Secretaria de Segurança Pública do Estado, em Porto Alegre.

Presidente da Amlinorte, João Marcos (esquerda), ao lado do comandante do CRPO Litoral, o coronel Ney Humberto. – FOTO: BM

FALTA DE ENERGIA

Os problemas enfrentados em todo Estado com a falta de energia elétrica e demora no reestabelecimento foi amplamente debatido entre os prefeitos presentes na Audiência Pública. A principal reclamação está no tempo de espera para o deslocamento das equipes até os locais afetados, assim como o desconhecimento dos técnicos sobre as localidades, principalmente nas áreas rurais ou periferias.

O representante da CEEE Equatorial, Alessandro Trindade, fez uma explanação sobre o funcionamento da empresa e os avanços já alcançados na região, desde que a Equatorial assumiu os serviços da estatal. “Acompanhamos os problemas diariamente em nossas cidades e sugerimos que a empresa faça treinamento das equipes nos locais a serem atendidos, porque isso vai facilitar o trabalho de socorro aos chamados”, alertou o presidente da Amlinorte.

Representante da CEEE Equatorial, Alessandro Trindade. – FOTO: Rose Scherer

MOSQUITO PÓLVORA

Outro tema discutido na reunião a proliferação do mosquito pólvora, principalmente nos municípios produtores de banana. A infestação está comprometendo o dia-a-dia das comunidades e lavouras de cidades como Dom Pedro de Alcântara, Três Forquilhas e Itati, entre outros. Presentes na Audiência, os técnicos da Emater, Tatiane Bohrer, e da Secretaria Estadual de Agricultura, Alonso Andrade, informaram que estarão visitando todos as cidades da região para orientar e construir alternativas ao problema, que atinge o Litoral há alguns anos. Além disso, a Amlinorte criou um grupo de trabalho entre os prefeitos e técnicos da Emater, o qual também conta com a participação das Secretarias de Agricultura e Saúde do Estado para auxiliar no trabalho.

O encontro também contou com a presença da diretora da UCS Torres, Débora Thomas, e do professor Juliano Gimenez, diretor do ISAM UCS. Eles aproveitaram a ocasião para apresentarem as alternativas de desenvolvimento tecnológico para os municípios, por meio do Instituto de Saneamento Ambiental (ISAM).