Dia dos Namorados pode iniciar a recuperação das vendas do comércio gaúcho

FCDL-RS projeta movimentação financeira entre R$ 300 milhões e R$ 350 milhões.

Celebrado na quarta-feira (12), o Dia dos Namorados é a primeira data representativa do comércio após a calamidade que atingiu o Rio Grande do Sul em maio e pode representar o passo inicial para a recuperação das vendas dos lojistas gaúchos. Ainda que esse fator impacte na projeção de vendas para essa data comemorativa, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado (FCDL-RS) estima uma movimentação financeira entre R$ 300 milhões e R$ 350 milhões, o que, no atual cenário, é um indicador positivo.

 Sexta data comemorativa mais importante do comércio em termos de volume de vendas o Dia dos Namorados traz um componente emocional muito forte e uma característica diferenciada, que é a compra de presentes em duplicidade, uma vez que cada integrante do casal adquire pelo menos uma lembrança. “Acreditamos que o Dia dos Namorados pode marcar a retomada dos negócios em grande escala no comércio do Rio Grande do Sul, sendo fundamental que os casais busquem efetuar suas compras nas lojas das cidades onde residem. Isso é importante para ajudar na recuperação dos negócios, na manutenção e geração de emprego e renda”, avalia o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

Nesse processo de recuperação os segmentos de vestuário, calçados e acessórios devem ser os mais beneficiados, pois tradicionalmente eles recebem a preferência do consumidor na hora da compra do presente. Utilidades domésticas, eletroeletrônicos, perfumaria e cosméticos também aparecem como opções lembradas pelos casais. Além disso, bares e restaurantes têm o seu movimento ampliado no dia 12 de junho. Pelo que aconteceu no estado há poucos dias, a FCDL-RS projeta um ticket médio na aquisição de presentes neste ano inferior ao de 2023, ficando na casa dos R$ 150,00 por pessoa.

 “O Dia dos Namorados vai ser um momento importante para o comércio do Rio Grande do Sul mostrar, mais uma vez, a sua capacidade de resiliência e de superação. Estamos empenhados em fazer os lojistas gaúchos recuperarem seus negócios e seguirem fazendo a diferença no círculo virtuoso da economia do estado. Com garra, determinação e, principalmente, um auxílio célere e imediato dos poderes constituídos, isso vai ocorrer mais rápido do que pensamos”, conclui Vitor Augusto Koch.

Presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.