Pagamento do 13º salário reforça expectativa do comércio gaúcho por incremento das vendas no final do ano

Em meio a eventos que movimentam o comércio gaúcho no final de ano, como a Black Friday e o Natal, o ingresso de recursos oriundos do pagamento do 13º salário para funcionários de empresas públicas e privadas na economia estadual é mais uma notícia positiva para os comerciantes. O dinheiro extra, que no Rio Grande do Sul chega à casa dos R$ 14 bilhões, favorece o consumo e aumenta a expectativa dos lojistas em relação às vendas do Natal.

“Tradicionalmente o pagamento do 13º salário ajuda a impulsionar a nossa economia. O dinheiro extra possibilita aos trabalhadores o investimento na aquisição de produtos no comércio, a quitação de eventuais débitos e, em muitos casos, a regularização da situação de crédito”, lembra o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), Vitor Augusto Koch. O dirigente ressalta que regularizar o crédito, atualmente, é uma ação que favorece os consumidores na hora de realizarem compras a prazo. Vitor Augusto Koch destaca que com a implementação e expansão do Cadastro Positivo no país, quem cumpre com seus compromissos financeiros pontualmente ganha benefícios importantes, como taxa de juros menores e até maior prazo de pagamento quando comprar parceladamente. Por isso, a FCDL-RS utiliza o Cadastro Positivo, em parceria com a Quod, disponbilizando uma análise altamente qualificada.

Cerca de quatro milhões de pessoas devem receber o 13º salário no Rio Grande do Sul, trabalhadores de empresas públicas e privadas, aposentados e pensionistas do Regime Próprio do estado e do Regime Próprio dos municípios. Lembrando que aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) não estão inclusos nestes indicadores por já terem recebido o salário extra na metade deste ano.

Presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

O 13º salário é pago em duas parcelas, sendo a primeira até 30 de novembro e a segunda até 20 de dezembro. Os descontos de Imposto de Renda e de INSS ocorrem na segunda parcela, que, portanto, vem com valor menor.

Para o presidente da FCDL-RS, mais dinheiro na praça representa mercado aquecido e movimento maior para o comércio, o que amplia as chances de um expressivo crescimento das vendas no final do ano.

– Como ajuda a girar a economia neste período, o 13º salário é fundamental para incrementar as vendas do comércio.  Os lojistas precisam estar preparados e focados para vender, ofertando qualidade no atendimento e produtos com preços adequados ao orçamento das famílias gaúchas – conclui Vitor Augusto Koch.