Iniciada 1ª fase da obra do Complexo Hospitalar do Litoral

Na quarta (15), foi colocada a primeira das 750 estacas de 19 metros de profundidade que irão compor a estrutura.

Após muita espera, teve início na última quarta-feira (15), em Capão da Canoa, a construção do Markho Life Complex. Foi colocada a primeira das 750 estacas de 19 metros de profundidade que irão compor a estrutura. O ato foi acompanhado pelo prefeito de Capão, Amauri Magnus Germano, e pelo CEO do Grupo Pessi e vice-presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado (Sinduscon-RS), Alfredo Pessi.

O CEO da empresa responsável pela obra, destacou a importância do projeto diante da crescente demanda por serviços de saúde na região. Segundo ele, “com o aumento da população na área, há uma necessidade evidente de infraestrutura médica mais robusta”, declarou Alfredo. Já o prefeito de Capão disse que: “Esse Complexo vai mudar conceitos no Estado, além de salvar vidas e contribuir com o desenvolvimento em todos os aspectos”, ressaltou Amauri, que aproveitou para parabenizar Pessi pela “visão inovadora e visionária”.

Preito de Capão Amauri ao lado de Alfredo Pessi, CEO da empresa responsável pela realização da obra.

COMPLEXO

O Complexo de Saúde atenderá pacientes particulares, de convênios e pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ele contará com hospital, centro de exames e diagnósticos. Ao todo, serão instalados 180 leitos gerais, incluindo mais de 20 de Unidade de Tratamento Intensiva (UTI), abrangendo também unidades neonatais.

Além disso, serão disponibilizadas 11 salas de cirurgia e uma área de emergência. O projeto contempla ainda espaços específicos para ambulâncias e até mesmo um heliponto, visando garantir o acesso rápido e eficiente aos serviços de saúde. Não bastasse tudo isso, o Complexo ainda contará com torres residenciais e comerciais, centro profissional, além de uma área dedicada a lojas e restaurantes, além de um prédio com capacidade para 700 vagas de garagem.

O empreendimento de 78 mil metros quadrados (m2) é o resultado de uma parceria entre o Grupo Pessi incorporadora e a construtora Tedesco. A previsão de término da obra é de 48 meses (dois anos), sendo gerados durante os trabalhos cerca de 800 empregos diretos e indiretos.

Complexo localizado em Capão da Canoa contará com 78 mil m2. – FOTOS: PMCC