Estudantes Osorienses conquistam Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho

Amanda, Laura e Victórya ao lado da professora Flávia Twardowski.

Foi realizada na noite da última terça-feira (31/10), a entrega dos Prêmios Pesquisador Gaúcho e Jovem Talento Científico Gaúcho. A cerimônia, realizada na sede da Federação das Indústrias do RS (Fiergs), em Porto Alegre, foi organizada pelo Governo gaúcho, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapergs) e da Secretaria Estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict).

O evento contou com a presença das secretárias estaduais Simone Stulp (Inovação, Ciência e Tecnologia) e Raquel Teixeira (Educação); do diretor-presidente da Fapergs, Odir Dellagostin; do diretor administrativo-financeiro Mauro Mastella; e do diretor técnico-científico Rafael Roesler, entre outras autoridades.

PREMIAÇÕES

Com o tema ‘Ciência e inovação: alicerces do futuro’, a 13ª edição do Prêmio Pesquisador Gaúcho agraciou nove pesquisadores que se destacaram em diferentes áreas do conhecimento, além de outros seis profissionais e pesquisadores em categorias que contemplam graduação, meio empresarial e setor público. A cerimônia também contou com a entrega da medalha Sylvio Torres, reconhecimento bianual concedido, na ocasião, a Diogo Onofre Gomes de Souza, médico e professor na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Já o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho, em sua quinta edição, premiou 29 alunos de escolas públicas do RS que se destacaram em competições do conhecimento e Olimpíadas Científicas nacionais e internacionais neste último ano. A premiação é oferecida pelo Educar para Inovar, programa da Sict em parceria com a Secretaria de Educação do Estado.

Entre os premiados estão quatro estudantes ou egressas do Instituo Federal do RS (IFRS), Campus Osório. Na categoria Nacional, Amanda Ribeiro Machado foi homenageada devido ao 1º lugar conquistado na etapa brasileira do Prêmio Jovem da Água de Estocolmo (SJWP), com o Projeto ‘Biogrape: inovação para o tratamento de efluentes têxteis a partir de celulose bacteriana do vinho’.

Durante o estudo, que contou com orientação da professora Flávia Twardowski, a jovem pesquisou um material alternativo e ambientalmente sustentável para remover da água corantes utilizados pelas indústrias têxteis. Ela submeteu resíduos da produção de vinho a um processo de fermentação e, com isso, conseguiu desenvolver uma celulose bacteriana capaz de fazer a remoção de materiais contaminantes da água.

Camily Pereira foi premiada na categoria Internacional.

OUTRAS PREMIADAS

Na categoria Internacional, outras três osorienses foram premiadas. Camily Pereira dos Santos foi lembrada por ter recebido o Prêmio Carolina Bori Ciência & Mulher, com o projeto ‘Sustain pads: absorventes sustentáveis e acessíveis a partir de subprodutos industriais’. Desenvolvida, juntamente com Laura Drebes e orientada por Flávia Twardowski, a pesquisa teve como premissa a produção e distribuição de absorventes de baixo custo para pessoas em vulnerabilidade social. Por falar em Laura, ela também recebeu o Prêmio Jovem Talento Científico Gaúcho devido a Bolsa de Pesquisa Júnior conquistada para participar do International Summer Science Institute (ISSI), em Israel.

E para fechar, a quarta e última estudante de Osório premiada foi Victórya Leal Altmayer Silva. Ela conquistou a medalha de bronze e Diploma de Melhor Apresentação Mundial no International Conference de Young Scientists (Conferência Internacional de Jovens Cientistas), na categoria Matemática. Contemplada pela terceira vez consecutiva com o Prêmio, Victórya declarou estar honrada por mais este reconhecimento, o qual, segundo ela, “tem o objetivo de incentivar e capacitar jovens cientistas”.