CASO MIGUEL: Mãe e madrasta de menino pretendiam ter um filho juntas

A Polícia Civil segue analisando as provas e os materiais apreendidos durante as buscas aos apartamentos e casa, onde o menino Miguel Rodrigues morava com a mãe Yasmin Rodrigues e a madrasta Bruna da Rosa. Durante as investigações, a Polícia encontrou um caderno com anotações feitas pelas duas mulheres.

Entre os escritos feitos a lápis, está uma lista de clínicas de reprodução e fertilização artificial, com o nome, telefone, preço da consulta e anotação assinalando quais já haviam sido contatadas. Para a Polícia, isso é um indicio de que Yasmin e Bruna pretendiam ter uma criança juntas.

“Isso comprova que, pelo visto, elas pretendiam ter um filho delas, sendo fruto dessa relação. E que a vítima não fazia parte desse contexto. Tanto que o print de mensagem (de celular) conta que essa criança era um empecilho para elas. Acredito que daí venha esse plano das duas em fazer uma inseminação artificial”, avaliou o delegado Antônio Carlos Ractz Júnior.

Foto: PC