BOCA DO BALÃO 6669

CANDIDATO descondenado pelo STF e legitimado pelo TSE, mesmo sendo inegavelmente o maior ladrão da nação brasileira agora ataca fora do país furtando canetas caríssimas da marca Montblanc em eventos internacionais. Enquanto sua quadrilha rouba o país dentro do esquema de poder, agora o ladrão-chefe consome milhões em viagens internacionais e tem como “souvenirs” canetas de eventos junto com a comparsa que levava o amor a cadeia. Uma imagem muito bonita para um país como o Brasil e para servir de exemplo dos brasileiros que poderão ser discriminados por rapinagem fora do país. Nada como ser analfabeto, ladrão e mentiroso contumaz para representar a nação brasileira. Uma vergonha institucional.

AJUDA do governo federal para as tragédias das enchentes foi anunciada de R$ 2,341 bilhões. Na realidade somente R$ 741 milhões serão dados por diversos ministérios, enquanto o restante será dinheiro do trabalhador como a liberação antecipada do FGTS num total de R$ 600 milhões para atender 354 mil trabalhadores, ou seja é dinheiro que já é do trabalhador por direito e que seria para quando perdesse o emprego ou nas demais situações possíveis de saque, o que indica que irão zerar as consta do FGTS destes trabalhadores. Depois irá liberar linha de crédito sem juros de R$ 1 bilhão para as empresas e empreendedores que perderam tudo, ou seja, terão de pagar pelo empréstimo. Em vista da tragédia e do que o estado envia para o governo central é uma ninharia. A verdadeira ajuda está vindo de voluntários e doações via pix. A União nos rouba mensalmente e quando precisa devolve migalhas. Mas se fosse para comprar deputados e senadores o dinheiro vinha fácil.

QUEDA da arrecadação do município de Osório com o fim dos royalties do petróleo pode vir a sepultar projeto de ciclovias e ciclofaixas na cidade. Se não vier recursos de emendas a duplicação da RS 030 no trecho do bairro Laranjeiras também não sairá do papel. Além disso municípios reclamam que o presidente do “L” está reduzindo os valores dos repasses do FPM obrigando prefeituras a cortes de gastos e de serviços públicos por falta de recursos. E ainda querem fazer o município assumir o Hospital de Osório que as “deusas da administração” terminaram de afundar em dívidas como interventoras do Estado. A emenda saiu pior que o soneto, pois era simplesmente as prefeituras pactuarem com o Hospital repasses para cobertura de custos com atendimento de suas cidades pelo Hospital. Será que terá um novo “Illuminati” para promover a salvação do Hospital?